.
“Os fariseus e os escribas tomaram as CHAVES DA GNOSIS. Eles não entraram e nem deixaram entrar aqueles que queriam entrar. Vós, no entanto, sede sábios como a serpente e manso como as pombas”
( JESUS CRISTO – Evangelho de São Tomé )

"Seguramente, cada um que receba um Mistério do Reino da Luz, irá e herdará até à região na qual recebeu Mistérios. Porém, não conhecerá ... a Gnose do universo e porque é que tudo isto surgiu a menos que conheça a UNA e Única Palavra do Inefável que é a Gnose do Universo. ..... E de novo vos digo abertamente: EU SOU A GNOSE DO UNIVERSO"
.
(Jesus Cristo em Pistis Sophia, o livro sagrado do cristianismo gnóstico primitivo)

.

Em Defesa da Divina Gnosis do Cristo.

Em Defesa da Divina Gnosis do Cristo.
JESUS CRISTO, Grande Mestre Gnóstico e Chefe da Loja Branca.
.
.

MAGIA BRANCA contra MAGIA NEGRA

MAGIA BRANCA ( Magia do Cristo ) versus MAGIA NEGRA ( Magia dos adeptos da loja negra  )

.
Temos visto os INVERTIDOS tentando misturar ou igualar a Gnose de Samael com as doutrinas do OCULTISMO NEGRO ou SATÂNICO, no intuito de desviar sutilmente O BUSCADOR da senda esotérica cristã gnóstica. Para tanto, querem também chamar de "Gnose" e de "gnósticos" certos personagens do pseudo-ocultismo, praticantes inclusive de magia negra. Veja, eles querem misturar o óleo com a água, mesmo sabendo que não se misturam jamais por serem antagônicos, inversos e equidistantes entre si e seguem querendo confundir tudo... Mas nós continuaremos separando o BRANCO do NEGRO, implacavelmente, pois que é nosso DEVER não deixar, que os buscadores sinceros da verdadeira gnosis, se ocupem com práticas negras pensando ingenuamente que é magia branca.  É necessário dizer que,  enquanto as escolas de TANTRISMO CINZA E NEGRO não se opõe ao TANTRISMO BRANCO, que secretamente rejeitam, a LOJA BRANCA é declaradamente contra o tantrismo negro e tantrismo cinza e tem o dever de alertar os aspirantes gnósticos, assim como fazia o Mestre Samael em vida, para que ninguém venha  a cair em enganos.
 
Então, para melhor compreendermos este tópico vamos tratar aqui, resumidamente,  sobre o livro a Revolução de Belzebu nas palavras de Samael Aun Weor, Grande Mestre da Sabedoria Oculta.

A Revolução de Belzebu é um destes livros de ocultismo fascinantes que escrevera o Mestre Samael, tal como o Matrimônio Perfeito e que produziu grande sensação e impacto aos leitores amantes do universo mais oculto.

Um livro extraordinário, envolvente, elucidador e realmente único,  pois que conta a história de Belzebu desde os tempos arcaicos, desde sua época de cidadão comum e como ele havia caído na magia negra até se transformar em príncipe dos demônios, se rebelando mais tarde  contra a loja negra, para dar início a sua revolução da consciência. ( Alertamos que o livro A Revolução Belzebú foi também alterado pelos INFILTRADOS e EXTRAVIADOS, de forma que não convém mais adquirir este livro - No final do tópico falaremos mais sobre isto. )

A importância deste tópico está em saber diferenciar, claramente, magia branca de magia negra e que o Grande Mestre Samael, em sua sabedoria conscientiva de AVATAR, o distingui com grande habilidade, objetividade e maestria.


A REVOLUÇÃO DE BELZEBÚ
Obra escrita em 1952 pelo Grande Mestre Gnóstico Samael Aun Weor - RESUMO





ARCÁDIA - Era de Saturno

"...Quem é esse jovem de túnica cinzenta, olhos negros e profundos, nariz aquilino, corpo alto e cabelo eriçado? Quem é esse jovem alegre que ri gostosamente em tertúlia com amigos, despreocupado e feliz na orgia? Ah! É Belzebu, o rei da festa, o simpático amigo das tabernas, o alegre companheiro da orgia, o romântico galã despreocupado da antiga Arcádia...

Tenho penetrado clarividentemente na Época de Saturno... aqui não vejo nada vago nem vaporoso... Besant, Leadbeater, Heindel, Steiner, onde estão vossos poderes? Que se fizeram de vossos conhecimentos? Para que me falais de coisas vagas, quando tudo aqui é concreto e exato?

Esses homens da Época de Saturno eram homens... e homens de verdade, porque tinham um Ser e sabiam que o tinham... As humanidades sempre são análogas. Esses homens da Época de Saturno eram como os atuais...  O ambiente semelhante... Quando se fala de humanidade, vêm à mente negócios, tabernas, prostíbulos, orgias, belas jovens cativantes, disputados galãs, princesas roubadas, velhos castelos, Tenórios de Barrio e poetas tresnoitados. O ancião que passa, o menino que chora, a mãe que arrulha uma esperança e o frade que murmura alguma oração... enfim, toda essa gama de qualidades e defeitos variados que constituem os valores humanos..."

"Toda a matéria era mental... Todos os humanos usavam corpos astrais... Comiam, vestiam, bebiam e divertiam−se como agora porque o corpo astral é um organismo quase tão denso como o físico e estava analogamente constituído como o físico. Certamente os homens da Arcádia recordavam antigos cataclismos e formosas tradições milenárias... de épocas pré−saturnianas... Porém, no pleno apogeu do estado humano a vida era semelhante à atual..."

.
MAGIA BRANCA versus MAGIA NEGRATEURGIA versus NECROMANCIA )

Uma coisa é a TEURGIA e outra coisa é a NECROMANCIA...
O Mestre Interno do TEURGO é seu ÍNTIMO.
O Mestre Interno do NECROMENTE é seu Guardião do Umbral, o qual chamam de o Guardião de sua Consciência, o Guardião do Recinto, o Guardião de sua Câmara, o Guardião de seu Sanctum...
O ÍNTIMO é nosso espírito divinal, nosso REAL SER, nosso Anjo Interno.
O Guardião do Umbral é o fundo interno de nosso EU ANIMAL.
O ÍNTIMO é a chama ardente de Horeb, aquele Ruach Elohim que segundo Moisés trabalhava as águas no princípio do mundo. É o Rei Sol, nossa Mônada Divina..."
O Guardião do Umbral é nosso Satã... Nossa besta interna, a fonte de todas as nossas paixões animais e apetites bestiais...
O Real Ser do Teurgo é o ÍNTIMO.
O Eu Superior do Necromante é o Guardião do Umbral.
Os poderes do ÍNTIMO são divinos.
Os poderes do Guardião do Umbral são diabólicos.
O Teurgo rende culto ao ÍNTIMO.
O Necromante rende culto ao Guardião do Umbral.
O Teurgo vale−se dos poderes do ÍNTIMO para seus grandes trabalhos de Magia prática.
O Necromante rende culto ao Guardião do Umbral para seus trabalhos de Magia Negra.
Chegamos ao império da alta e baixa magia.

A Luz Astral é o campo de batalha entre os magos brancos e negros. A Luz Astral é a chave de todos os Impérios e a chave de todos os poderes. Este é o grande agente universal da vida. Nela vivem as colunas de Anjos e de demônios. Para se chegar à TEURGIA tem−se que primeiro ser alquimista e é impossível sê−lo sem uma mulher..."

"O segredo está em conectar−se sexualmente com a Sacerdotisa e retirar−se antes de derramar o sêmen"...
"Com esta chave desperta nossa Kundalini e por fim chegamos ao matrimônio de Nous e conquistamos a Bela Helena, pela qual tantos ilustres guerreiros da velha Tróia pelejaram.
A Bela Helena é a MENTE ÍGNEA da Alma que já desposou com seu amado, o ÍNTIMO.
A Bela Helena é a MENTE ARDENTE do Teurgo. Com essa mente, o Teurgo transmuta o chumbo em ouro real e efetivo... O TEURGO empunha a espada e como um Rei da Natureza ressuscita os mortos, cura os cegos, os coxos e os paralíticos... Desata os furacões e heróico passeia pelos jardins de fogo da Natureza.
Que lógica indutiva ou dedutiva serve de base aos neoplatônicos Plotino e Porfírio para combater a TEURGIA FENOMÊNICA? Todas as existências infinitas do Universo são filhas da TEURGIA FENOMÊNICA...
.
Há uma enorme diferença entre O ESPELHO DA TEURGIA e o ESPELHO DA NECROMANCIA. O ESPELHO DE ELÊUSIS é diferente do Espelho de Papus e da Escola da Amorc, da Califórnia. O espelho da Escola de Papus é necromancia e magia negra. O espelho dos Mistérios de Elêusis é pura e divina teurgia.

COMENTÁRIO:
Desgraçadamente, o Dr. Encause ( Papus ), embora inicialmente ter sido adepto da magia sexual, se desviou da senda e começou a ensinar necromancia aos seus discípulos, dentre outras coisas. O próprio Mestre Huiracocha, se afastou de Papus e depois fundou sua F.R.A. se unindo a Antiga Igreja Gnóstica de Elêusis de Dr. Peithmann. Observe bem, o Dr. Arnold Krumm-Heller se uniu a Igreja Gnóstica de Dr. Peithmann ( Patriarca Basílides ) e não a Igreja Gnóstica Católica ( IGC ) de Papus, que  ele ( Papus ) Bricaud e Fugarion haviam fundado em 1907 e que posteriormente denominaram Igreja Gnóstica Universal ( já em 1908 ),  deixando toda a autoridade da Ecclesia Gnostica Catholicae ( IGC ) para o maçon Theodor Reuss, fundador da O.T.O., antes da besta 666 Aleister Crowley se apossar da mesma e passar a enganar os incautos.
O fato  do Dr. Arnold Krumm-Heller ( V.M. Huiracocha ) unir-se a Antiga Igreja Gnóstica de Eleusis do Dr. Peithmann ( Patriarca Basílides ) e não a "Igreja Gnóstica" de Papus,  somente vem demonstrar que Huiracocha havia se afastado de Papus por ter ele ( Papus ) se desviado do caminho.

Continuando:

"O Iniciado de Elêusis em estado de Mantéia (Êxtase) pronunciava a sílaba sagrada e então aparecia no resplandecente espelho o ÍNTIMO do iniciado, todo feito LUZ e BELEZA...
 O Necromante da Escola de Sodoma roga ao Guardião do Umbral para que apareça no espelho e uma vez feita a visão o candidato fica escravo do Guardião do Umbral e convertido em mago negro. O ritual de primeiro grau da Escola Amorc da Califórnia é o crime mais monstruoso que se tem cometido contra a humanidade. O discípulo olhando o espelho invoca o monstro do umbral..."

"Assim, o ingênuo discípulo fica convertido em mago negro, escravo do Guardião do Umbral e das trevas. Este ritual de magia negra, adaptada hoje ao século XX, é antiquíssimo.
Belzebu, depois de haver passado por ele, na antiga arcádia, começou sua horrível carreira de demônio"...


OS DOIS CAMINHOS

À sombra do licor e da orgia cresce a enfeitiçada flor do delito.
À sombra da folhagem núbil da paixão, o animal selvagem e o réptil rasteiro formam seu ninho.
Em meio à bebedeira e ao bacanal, Belzebu aprendeu a jogar grandes somas de dinheiro. E o dinheiro, bem como o pecado original, são coexistentes: ambos são a tragédia do ser humano.

O jogo levou à ruína e ao suicídio a dama elegante, o astuto cavalheiro, o homem de trabalho e o jogador boêmio...
Belzebu aprendeu o vício do jogo e ria alegre no bacanal, entre o seco ruído dos dados e o abrir alegre e triunfador de outra garrafa. Porém, nunca faltava na orgia um personagem misterioso. Este fatídico personagem de rosto sinistro vestia túnica negra ao estilo da Arcádia e em suas orelhas reluziam sempre grandes brincos de ouro.
Que mistério envolvia esse sinistro personagem? Era acaso algum gênio da luz, vindo de remotas esferas? Era acaso algum luminoso Senhor da Chama ou algum antigo habitante de alguma época histórica já desaparecida? Não, nada disso. Este era tão−só um horrível e monstruoso transgressor da Lei: Um mago negro.

Belzebu aprendeu desse mago negro certas chaves secretas para ganhar no vício do jogo. A amizade se mesclava com o agradecimento e a orgia, e assim o sinistro personagem foi conduzindo sua vítima pelo caminho negro..." "...o licor, o prazer, o jogo e a fornicação com suas flores exóticas de beleza maligna e sedutora hipnotizaram o débil e o levaram ao Abismo. Belzebu fez−se amigo íntimo do sinistro personagem que com suas chaves milagrosas o colocava triunfante no vício do jogo. Finalmente, um dia esteve tristemente preparado para receber a primeira iniciação de magia negra num templo tenebroso... Seu mestre havia−lhe feito promessas inefáveis, tinha−lhe falado tanto do amor e da justiça que era impossível duvidar dele, principalmente quando lhe havia colocado sempre triunfante no jogo com seus maravilhosos segredos. Como poderiam hoje em dia os estudantes da Escola Amorc duvidar do Imperator de sua Sagrada Ordem ou de seus “Santos Rituais”? O que vai cair não vê o fosso.

O ritual de primeira iniciação tenebrosa que o discípulo Belzebu recebeu no templo foi o mesmo primeiro ritual que hoje os estudantes da Amorc verificam em seu quarto, para receber o primeiro grau. Assim como o estudante de primeiro grau da Amorc, depois do rito, fica escravo do Guardião do Umbral, assim também Belzebu ficou escravo do Guardião do Umbral e começou sua carreira de demônio..."
"Os magos negros têm sua mística e sempre crêem firmemente que vão pelo bom caminho... O CAMINHO DA MAGIA NEGRA É O CAMINHO LARGO E CHEIO DE VÍCIOS E PRAZERES.

MARIELA, a grande Maga negra, cheia de uma beleza deliciosa e fatal, com sua voz encantadora e seu terno rosto, deslizava ágil e ligeira sobre o macio tapete dos grandes e esplêndidos salões da mais alta aristocracia da nobreza européia. Sua voz sedutora ressoava na festa como um poema de amor, como um beijo das sombras, como uma música inefável. Era algo assim como o romance, uma melodia ou como o maravilhoso sonho de uma Sinfonia de Beethoven. Era Mariela, a grande maga, a esplêndida dama de todas as cortes da Europa. As sessenta Almas da caldeira de cobre, com suas cabeleiras brancas, assemelhavam−se a algo como um jardim de alvas margaridas, entre os perfumes, as sedas e os fraques dos régios palácios... Eram as sessenta Almas da Caldeira de Cobre um jardim de flores brancas de onde soprava um hálito de morte.
O testamento das 60 Helenas foi um testamento de trevas e de morte. E tu, ANGELA, com essa régia vestimenta de longa cauda, pareces à ansiada prometida de um amante que nunca chega. Pareces a ninfa misteriosa de um delicioso labirinto encantado; pareces uma beldade inesquecível no veludo da noite salpicado de estrelas. Quantas vezes te vi, ó Angela, como uma deusa fatal, entre os espelhos feiticeiros daquele elegante salão de bruxaria, do qual tu eras uma rainha do mal. Como se chama, ó filhos do mal, essa esplêndida mansão semelhante a um idílio? Ah, é JAHVESEMO, o salão delicioso de púrpura e seda. Aqui só reina o amor e a beleza fatal do Abismo do mal. Cada dama aqui é um poema, cada sorriso, um idílio, e cada dança, um romance de amor inolvidável... O corpo flexível e delicado de cada beldade maligna é como o de uma bailarina na silhueta de uma paisagem misteriosa.
ANDRAMELECK, o rico e faustoso mago negro da China, diz que o ser humano é um anjo e portanto não tem porque sofrer. Aconselha sempre a seus amigos que se metam na aristocracia e vistam−se como príncipes e consigam muito dinheiro.
CHERENZI, o KH negro, falando no sentido social, diz que seus discípulos devem ser triunfadores e que o discípulo que não seja triunfador não pode ser seu discípulo.
Os magos negros amam a fornicação e como que tratando de justificar−se, dizem que é uma relação divina. Os magos negros sabem demasiado que as almas que se afastam do ÍNTIMO desintegram−se no Abismo, porém, então Cherenzi, o porta−voz dos ensinamentos dos Irmãos das cavernas tenebrosas, disse que a alma é tão só uma veste e que ela deve desintegrar−se, porque a eles só lhes interessa o Real Ser e que aspiram construir seu ninho no Absoluto. 

Esta é a mística perigosa da Magia Negra. Qualquer neófito em ciência oculta cai facilmente nessa filosofia de beleza terrivelmente maligna e sedutora...  Os magos negros odeiam Cristo... e o consideram um personagem malvado.

Cherenzi, o KH negro, diz “que o senhor Cristo não era Iniciado porque nenhum Iniciado se deixa matar...” Os magos negros de San Jose da Califórnia “são mais diplomáticos”... por conveniência econômica. Com essa filosofia das trevas, os magos negros formam sua mística e, cheios de regozijo, bebem, coabitam, divertem−se, assistem a seus grandes festins e dançam deliciosamente em seus elegantes salões, e no braço da fornicação deleitam−se e riem... O caminho negro é fácil e opulento e por esse caminho fácil e alegre Belzebu, o disputado galã da antiga Arcádia, orientou−se"...

O BASTÃO DOS PATRIARCAS

"Belzebu, cada vez mais ansioso de Sabedoria, cumpria fiel e sinceramente todas as ordens que seu sinistro instrutor lhe dava. Conheceu o curso das correntes seminais e despertou sua Kundalini negativamente pelos procedimentos da fornicação e da concentração, tal como os ensina Omar Cherenzi Lind..."

"O crepúsculo da noite cósmica estendia o veludo de suas asas misteriosas sobre os vales profundos e as enormes e gigantescas montanhas da velha Arcádia. As corpulentas árvores milenares, últimos rebentos de pais desconhecidos, já assistiam durante longos anos caírem as folhas do outono e agora pareciam secar definitivamente para se desfalecerem nos braços da morte".  
"Daquelas enormes multidões de seres humanos haviam saído duas classes de seres: Anjos e Demônios.
A antiga beleza do disputado galã da Arcádia havia desaparecido. Seu corpo cobriu−se de pelo e tomou a semelhança de um gorila. Seus olhos adquiriram o aspecto criminoso e horrível de um touro. Sua boca agigantou−se e com seus dentes horríveis apresentava o aspecto das fauces de uma besta voraz.
Sua cabeça de enorme cabeleira e seus pés e mãos disformes e gigantescos lhe deram o aspecto de um monstro horrível, corpulento e enigmático. Esse era Belzebu, o misterioso e disputado galã da antiga Arcádia...

Esta era a Taça da Sabedoria na qual ele queria beber? Para se chegar a essa horrível monstruosidade é que foram todas essas sagradas iniciações que ele passou no templo? Este era o néctar da ciência, ou o licor da Sabedoria, que ele anelava?"...





A ÉPOCA SOLAR

"Depois de um período de repouso cósmico, a vida recapitulou a Época de Saturno e então iniciou−se a ÉPOCA SOLAR".
"Os anjos e os demônios da Época de Saturno flutuavam no ambiente da Época Solar. Ali vemos clarividentemente Belzebu, o príncipe dos demônios, entregue aos piores delitos. Membro ativo de um grande templo de magia negra, lutava intensamente para fazer prosélitos entre a humanidade da Época Solar e foram muitas as almas que ele conquistou para seu tenebroso templo. Baixou Belzebu os 13 Escalões da magia negra e conseguiu a 13ª Iniciação Negra, que o converteu em Príncipe dos Demônios. Em sua cintura levava o sinistro Cordão de Sete Nós, tal como o usam os “ditos” Cavaleiros Templários do mago negro Omar Cherenzi Lind e os membros da escola de magia negra Amorc de San Jose de Califórnia".

"Em sua cabeça peluda colocou o barrete da magia negra e cobriu seus largos e peludos ombros com a negra capa de príncipe dos demônios. Em sua fronte apareceram os chifres do Diabo. Esses cornos são a marca da Besta. Familiarizou−se com todas as palavras de passe e converteu−se num grande hierarca da loja negra, num adepto da mão esquerda.
Os magos negros da Amorc de San Jose de Califórnia têm palavras de passe muito curiosas para reconhecer−se entre si..." 

"Desse tenebroso templo atlante provêm os rituais negros de hoje, e não do Egito, como falsamente sustentam os oficiais dessa perigosa instituição. Eu, Samael Aun Weor, antiquíssimo Hierofante dos mistérios egípcios, acuso a loja negra ante o veredicto da consciência pública pelo delito de engano.
Acuso a essa instituição por atribuir−nos, aos antigos egípcios, rituais de magia negra que nós no Egito jamais usamos. Acuso a loja negra pelo delito de profanação. Acuso a loja negra por seu mercantilismo de almas. Acuso a Amorc da Califórnia pelo delito de profanação. Acuso a Amorc da Califórnia por sua mercancia de Almas. Acuso a Amorc da Califórnia ante o veredito da consciência pública pelo horrendo engano de fazer crer a seus ingênuos discípulos que é uma Instituição Branca".

COMENTÁRIO:

Cabe aqui alertar que existem comunidades tidas como "gnósticas", cujos proprietários ( muitos deles disfarçados de gnósticos ) abriram o quadro "comunidades semelhantes" do orkut para seus leitores acessarem comunidades da Amorc e comunidades do pseudo-ocultismo e pseudo-esoterismo.

Veja, o Mestre Samael falou firme contra a magia negra, e esses elementos tidos como "gnósticos" ainda abrem portas para levar o leitor desavisado a conhecer comunidades que se fingem ser da "Fraternidade Branca", como é o caso da Amorc, Chama Violeta, Ashtar Sheran, e os falsos 'Mestres Ascencionados' dos Sete Raios etc., e comunidades de nome  Sociedades Secretas, Filosofia Hermética etc.  Dentre estas, tem uma comunidade de nome Ocultismo ( na verdade pseudo-ocultismo ), que é uma das piores ( inclusive ataca o Mestre Samael ),  e que sempre aparece no quadro de "comunidades semelhantes". No entanto, tais proprietários trajados de "gnósticos" divulgam-nas através de suas comunidades disfarçadas de gnósticas, parecendo que a Gnose de Samael seria semelhante e estaria de acordo com referidas comunidades.

Veja mais: 
https://plus.google.com/photos/108380288556674555526/albums/6048512195588054481

Veja também:
https://plus.google.com/108380288556674555526/posts


Na dedicatória do Mestre Samael, contida em seu livro "A Revolução de Belzebú", vê-se claramente que o Mestre Avatara  é firme em sua explanação, quando escreveu:

"Esta sublime mensagem que eu, Samael Aun Weor, entrego à humanidade, inevitavelmente será rechaçada pela maior parte dos “sabichões” do rosacrucianismo, do teosofismo, do espiritismo e até por certos grupos de castrados volitivos cheios de pietismo, tais como os denominados Irmãos Herméticos de Lúxor, famosos por sua preguiça mental; os denominados Martinistas, sequazes do mago negro Papus; os denominados budistas livres, entre os quais abunda o homossexualismo; os partidários de Max Heindel, famosos por sua ignorância; e os exploradores das distintas religiões do mundo... e que é tremendamente real e verdadeiro que as muitas letras corrompem. Contam−se aos milhões os eruditos do espiritualismo que sabem de tudo e não sabem nada".  ( V.M. Samael Aun Weor )

E disse mais:

"Quando entrou em circulação nosso livro intitulado “O Matrimônio Perfeito”, não houve espiritualista na Colômbia que não lançasse contra nós a infâmia de suas críticas, e é que os estultos não estudam para aprender, senão para criticar.
Cada escola, sociedade ou loja espiritualista tem seu “tiranete” e sua “camarilha” de mentecaptos, que não querem nada de novo. Nenhum “chefinho ou tiranete de aula ou loja” quer admitir algo que possa ameaçar sua existência e o “negócio” de sua congregação".( V.M. Samael Aun Weor )

De maneira que quando veja comunidades, grupos, sites ou blogs tidos como "gnósticos" abrindo portas ao pseudo-ocultismo, são pessoas que estão procurando misturar magia branca com magia negra, ou seja, são pessoas que estão confundindo e modificando o que o Mestre Samael separou muito bem e rigorosamente em seu árduo trabalho de sacrifício pela humanidade.

Em outras palavras, são pessoas que estão sacrificando a humanidade, principalmente agora nesta época de definições. É claro que nos bastidores, elementos que estão infiltrados no círculo gnóstico dirão, astutamente, que isto se faz para dar oportunidade as demais pessoas de diferentes escolas. E, com esta desculpa, o que estão fazendo é levar os leitores a se interessarem por falsas escolas, desconstruindo todo o trabalho que o Mestre Samael fez, quando escreveu seus livros.
Somente pode-se fazer as pessoas se interessarem pela Divina Gnosis , quando mostramos a subjetividade teórica dos FALSOS ESOTÉRICOS  bem como a tenebrosidade das escolas do OCULTISMO INVERTIDO com suas práticas de magia negra, já que o intento do INIMIGO SECRETO é sempre confundir e se misturar para assim poder levar os desavisados ingressarem em suas falsas escolas esotéricas, que são  muitas e diversas... Esses tipos extraviados e infiltrados  dando uma de "bons samaritanos", começam a citar e  linkar FALSAS ESCOLAS com a Gnose de Samael, fazendo os leitores pensarem que a Divina Gnosis do Cristo teria relação e semelhança com as mesmas, cujas escolas vieram se corrompendo, cada vez mais, através do tempo e ainda dirigidas por FALSOS MESTRES, razão pela qual não aceitam o Matrimônio Perfeito. Outras escolas mais tenebrosas entregam declaradamente práticas de magia negra e tipos ditos "gnósticos" ainda citam-nas em suas siglas, sites, grupos, blogs, lojas e comunidades disfarçadas de "gnósticas", como se fossem escolas esotéricas sucessoras das originadas pelos mestres autênticos.

Não vai demorar muito e vão também abrir portas à satânica doutrina hiperbórea dizendo serem também gnósticas, mesmo sabendo que é a ANTÍTESE da divina Gnosis do Cristo, assim como é ANTÍTESE a doutrina thelemita da Besta 666 Aleister Crowley, que inclusive dizia-se, declaradamente, ser contra o Cristo Jesus, a quem pretendeu destruí-lo. FIQUE MUITO ESPERTO, pois tem bastante gente infiltrada dizendo serem "gnósticos"...

"Belzebu, o príncipe dos demônios, foi engrossando as filas de suas legiões com novos prosélitos, que diariamente recrutava entre os homens da Época Solar e assim converteu−se em hierarca de legiões.
O universo brilhava e resplandecia cheio de inefável beleza. A humanidade da Época Solar era análoga às demais humanidades de qualquer época e entre os homens daquela época, houve um que se esforçava terrivelmente para chegar à perfeição. Esse homem foi mais tarde o CRISTO, o Divino Rabi da Galiléia, O LOGOS SOLAR.
Havia na Época Solar outro templo de magia negra onde se iniciaram também muitíssimos homens que mais tarde se converteram em demônios. ASTAROT foi iniciado nesse negro e gigantesco templo".

"Ao final da Época Solar a humanidade daquele tempo chegou ao estado angélico e são os Arcanjos de hoje em dia. O mais alto iniciado deles foi Cristo. Porém, nem todos os humanos de então chegaram a esse estado, pois a maioria converteu−se em demônios. JAVÉ, o pólo contrário de CRISTO, foi o mais alto iniciado negro e tenebroso dessa época. Chegada a noite cósmica, o universo pareceu sumir−se no caos. A natureza inteira entrou num sono feliz..."





O PERÍODO LUNAR

Passada a noite cósmica do Período Solar, iniciou−se a aurora do Período Lunar.... "Nesse Período Lunar vimos Belzebu vivendo numa enorme casa construída sob a terra. Ali instruía seus discípulos num amplo salão. Vestia túnica de raias negras e vermelhas e usava turbante e capa dessa mesma cor. Era um mago negro de corpo alto e robusto. Todos os chelas negros o veneravam profundamente. Belzebu tinha dois livros: um no qual lia a seus discípulos e os instruía e outro que só ele estudava em segredo. Foram muitos os prosélitos que ele conquistou para a magia negra entre os homens do Período Lunar". 

"O homem percebia atrás do fogo dos vulcões em erupção os arcanjos ou criaturas do fogo, e atrás de todas as formas existentes, os Senhores da Forma. Os Filhos da Vida regulavam as funções vitais de tudo o que existia e as CRIATURAS ELEMENTAIS dos cinco elementos conviviam com os homens".

"Ao finalizar aquele grande Período Lunar, os ÍNTIMOS da atual humanidade receberam o corpo do espírito humano, chamado de CORPO DA VONTADE, que Krishnamurti tanto despreza.."

"Chegada a Noite Cósmica do Período Lunar, Jeová e seus anjos, Lúcifer e seus demônios, retirararam−se do cenário cósmico e a natureza toda entrou em profundo repouso"...






O PERÍODO TERRESTRE

"A natureza recapitulou os passados períodos cósmicos...

"As poderosas civilizações saturnianas, solar e lunar ainda existem no fundo atômico de nosso sistema seminal e podemos entrar em seus domínios por meio da meditação interior. A transição entre um e outro estados de consciência é o que erradamente chamamos de tempo, porém esses estados de consciência agora estão em sucessivos encadeamentos. O homem deve aprender a viver sempre no presente.
O homem deve libertar−se de toda classe de teosofismos empolados, sectarismos religiosos, fanatismos de pátria e de bandeira, religiões, intelectualismos, ânsias de acumulação e apegos em geral. Todas essas jaulas de papagaios sibaritas são antros de negócios e tirania e nada ganhamos com essas linguagens difíceis de se entender porque só conseguem encher−nos de preconceitos e fanatismos absurdos!"


A MAGIA NEGRA DOS ATLANTES

"Os magos negros da Escola Amorc da Califórnia dizem que a magia negra não existe, que isso é só uma superstição. 

Dizem que os pensamentos de ódio e de maldade emitidos pelas mentes malvadas desintegram−se, porque o cósmico é puro e bom, portanto não pode servir de instrumento às forças do mal. 
Esse conceito dos magos negros da Amorc tem por objetivo justificar seus tenebrosos ensinamentos e dar−lhes um colorido de pura Magia Branca".

"A maior parte dos ensinamentos e conhecimentos negros da escola Amorc provém da atlantida. Nas monografias do nono grau, chamam de 'Assunção' uma chave mágica para dominar a mente e a vontade de seus semelhantes; este procedimento é pura magia negra".

"Os amados profetas velados ( deles ) são magos negros que usam túnicas marrons ou vermelhas e que meio cobrem com uma capucha. É que os magos negros comungam sob o véu da obscuridade e amam as trevas; eles não querem nada com a luz. Todas estas práticas vêm do continente atlante".


COMENTÁRIO:

Aclaramos também que os gnósticos ( os verdadeiros ) não andam de preto, de maneira que ver pessoas tidas representantes da Gnose vestidos de pretos é sinal claro de que ou são extraviados ou são infiltrados disfarçados de gnósticos.

"As escolas de magia negra dão a seus afiliados um sem número de práticas absurdas para o desenvolvimento dos poderes ocultos. Tais práticas, de caráter absolutamente externo, só conseguem romper as membranas do corpo mental e converter o discípulo em mago negro".


Uma das características dos magos negros é escreverem dezenas de livros com o fim de inventar conceitos e distorcer o conhecimento esotérico para dar o sentido inverso, negro e satânico ao mesmo. CUIDA-TE DELES!!!

"Essa classe de ensinamentos vem de um templo de magia negra da Atlântida..., situado nas ilhas Açores, na Montanha do Pico. Este templo ainda existe dentro do plano astral ( lunar ). Antigamente, chegava−se a dito templo numa jornada de sete dias, e ao final de cada jornada diária se fazia uma grande festa. Ali, no templo, há um salão chamado O Salão da Vontade, onde se praticam inumeráveis exercícios similares ao da Amorc da Califórnia. O esforço que o discípulo realiza com esta classe de PRÁTICAS ABSURDAS dá por resultado que se rompam as delicadas membranas do corpo  mental.

NÃO DESEJEIS PODERES, QUERIDOS LEITORES, ELES NASCEM COMO FRUTOS DO ÍNTIMO QUANDO NOSSA ALMA ESTIVER PURIFICADA. 
( V.M. Samael Aun Weor )
 
"A força mental que gastamos nesciamente em mover um papel, empreguemo−la em dominar a paixão carnal, em acabar com o ódio, em dominar a língua, em vencer o egoísmo, a inveja etc. Purifiquemo−nos, que os poderes se nos irão sendo conferidos através das sucessivas purificações. Os poderes são flores da alma e frutos do Íntimo. Os poderes de um Mahatma são o fruto de milenárias purificações. O discípulo gnóstico vai recebendo da Loja Branca, através das Provas Iniciáticas, distintos poderes. Esses poderes os recebe a Alma e os agarra o Íntimo porque o Íntimo é o REAL HOMEM em nós.
Quando o gnóstico deseja, por exemplo, que um amigo distante venha a nós, roga a seu Íntimo assim: “Pai, trazei−me o senhor fulano de tal, porém não se faça a minha, senão a tua vontade”. E se o Íntimo considera justa a petição, realiza o milagre, que é um trabalho teúrgico, e chega o distante amigo. Porém, se o Íntimo considera injusta a petição, não atende aos rogos da alma. Esta é a pura Magia Branca.

O mago negro procede de forma a usar sua chamada “Assunção”, ou força de vontade, sem ter em conta para nada a vontade do Íntimo.

“Faça−se tua vontade assim na terra como no céu”, diz o gnóstico, porque o gnóstico não faz senão a vontade do Íntimo, assim na terra como no céu, ou seja, nos planos superiores de consciência. O gnóstico põe todos os seus anseios nas mãos do Íntimo. Dominando a cólera e adquirindo a serenidade, preparamos nossas glândulas pituitária e pineal para a clarividência. Sempre falando palavras de amor e de verdade, preparamo−nos para despertar o ouvido interno. A Magia Sexual, a vocalização diária e a purificação incessante nos leva aos cumes da Alta Iniciação. Não desejeis poderes. Não significa que os gnósticos tomemos uma atitude passiva ao estilo dos teosofistas, mas que devemos preparar−nos praticando Magia Sexual, vocalizando e expulsando todas as escórias. O gnóstico transmuta suas secreções sexuais e aguarda pacientemente ser digno de receber os poderes ocultos que, como flores da alma, brotam quando já nos tivermos purificado. O GNÓSTICO NÃO DESEJA PODERES, PREPARA−SE PARA RECEBÊ−LOS. A preparação do gnóstico consiste em purificar−se e praticar diariamente a Magia Sexual ( Branca ).

"Os magos negros têm estabelecido em seus templos provas similares às do mago branco..."  "Na monografia número cinco do nono grau da Escola da Amorc, depois que o discípulo tiver passado pelas quatro provas da Terra, Fogo, Água e Ar, o discípulo recebe em um templo de magia negra um pergaminho que diz assim:
“... Vosso número será o 777; vossa letra, o R;...vossa jóia será o JASPE VERDE em forma de escaravelho...".   Estas provas o discípulo as passa em um templo de magia negra situado no plano astral".

"Quando o gnóstico pede as quatro provas da Terra, Fogo, Água e Ar aos Mestres no astral, estes as vão soltando, tal como descrevemos em nosso livro O Matrimônio Perfeito, quase sempre com intervalo de vários dias entre uma e outra prova, sempre que tenha saído triunfante na prova anterior. A cada triunfo festeja−se o discípulo no Salão dos Meninos com música inefável e acolhida. Cada uma das quatro provas tem sua festa especial. Chama−se−lhe SALÃO DOS MENINOS porque os Mestres recebem o discípulo com a figura de meninos para dizer−lhes: “Até que não sejais como meninos não podereis entrar no Reino dos Céus”.

Nada de letras R, nada de 777, nada de pedras de Jaspe, nada de horas, nem de signos. Isto é pura magia negra proveniente da Atlântida. O único que se põe no discípulo gnóstico, quando o pede, é a pequena veste de Chela.

O mago negro, depois de haver passado a Prova do Ar, recebe uma joia com dois anéis entrelaçados, a qual vem a ser o signo de seu triunfo. O mago branco recebe o anel simbólico que representa o raio do qual pertence".


"Os discípulos da Loja Branca, como já dissemos, unicamente celebram sua festa no Salão dos Meninos, depois de cada prova em que tenham saído triunfantes. Na Loja Branca, as QUATRO PROVAS são para examinar a MORAL do discípulo branco. Na prova do fogo, ao discípulo atacam turbas de inimigos que o insultam e se este, em vez de lançar impropérios, lança amor sobre seus inimigos, então triunfa na prova. E se é sereno, passa por entre o fogo sem se queimar. Como se vê, na prova do fogo tem que chegar a beijar o látego do verdugo, para triunfar na prova.
Em troca, na prova do fogo do mago negro, só se trata de passar por entre o fogo, porque a preparação moral não tem importância".

"A monografia número seis do nono grau nos relata que depois que seus tétricos discípulos passaram triunfantes suas quatro provas, diz−se que têm direito a receber a sagrada iniciação. Vejamos o seguinte parágrafo da página 3 da sexta monografia do nono grau: Agora, deste modo fiquei inteirado de que os dois anéis entrelaçados haviam de ser meu signo... Tão prontamente como isso se me fez entender, foi−me pedido firmar meu nome e deixar a marca digital do polegar sobre uma página de papel especial..."

Isso cheira a delegacia de polícia, jamais de templos de iniciação branca. Em nenhum templo de iniciação branca firma−se com o nome pessoal nem se enumera a ninguém. Nas Lojas Brancas e nos arquivos kármicos, o ser humano figura com o nome do ÍNTIMO e não com nomes profanos. Muitos dos estudantes negros, ao formarem parte de sua universidade espiritual, perdem seu nome profano e o que conquista é o Anagarikado. Assinam um nome caprichoso em substituição do próprio, como prêmio por sua conquista e em cadeia com seu sanctum, exclamam, em ação de graças aos adeptos da mão esquerda: ( ... )"

"Cada um desses nomes pertence a um demônio que é cabeça de legião, e o ingênuo discípulo fica sob as ordens e mando do homem que escolheu ao azar. Os oficiais da Amorc fazem seus discípulos crer que esses nomes revelam simples causalidades morais, e, assim, enganam suas vítimas. Amorifer é um demônio de boné vermelho e rosto redondo. Cada um desses demônios é terrivelmente perverso"...

"Isso de adotar nomes apócrifos é próprio das escolas de magia negra. Na loja branca, ao discípulo se faz saber o nome de seu REAL SER, ou seja, de seu ÍNTIMO, nome com o qual figura através de TODA A ETERNIDADE e EM TODOS OS LIVROS KÁRMICOS: Assim temos, por exemplo, que o Buda Gautama, nos Mundos Internos, chama−se AMITHABA. Krumm−Heller se chama HUIRACOCHA etc."

"Na Iniciação Branca Gnóstica, o discípulo não tem de escolher nome, nem lhe dão um nome ao azar, senão que recebe o nome de seu ÍNTIMO, o de seu REAL SER, nome com o qual figura no livro kármico através de todas as idades. Antes de entrar na Autêntica Iniciação Branca, o discípulo tem de receber instruções esotéricas no Salão de Preparações. (Tudo isso é no astral, não é no plano físico )".

"Nos salões de autêntica iniciação gnóstica,  nenhum mestre JAMAIS veste túnica púrpura ou vermelha. Essas cores, só as usam os hierarcas  da loja negra".


BELZEBU E SUA REVOLUÇÃO

"Belzebu, o antigo príncipe dos demônios, em nosso atual Período Terrestre, chegou a um grau de perversidade impossível de pintar com palavras. Quando um mago queria chamá−lo no astral, tinha que se armar de um valor terrível para poder fazer frente à besta mais monstruosa que tenham podido conhecer os inumeráveis ciclos de evolução histórica. O mago pronunciava o sinistro mantra de evocações tenebrosas,..."

"Então, uma brisa de morte gelava a atmosfera do evocador e o príncipe dos demônios respondia com um rugido aterrador que parecia sair de todas as cavernas da terra. Belzebu concorria ao chamado do valoroso mago. Seus passos eram como o trotar de um potro infernal, e sua presença, mil vezes mais terrível, mil vezes mais horrível que a morte.
Ai daquele ousado que se atrevesse a chamar o príncipe dos demônios sem estar devidamente preparado.
Porém o mago, bem disciplinado, firme como um guerreiro, estendia sua mão direita até o príncipe dos demônios e o conjurava com as seguintes palavras: “Em nome de Júpiter, Pai dos Deuses, eu te conjuro. TE VIGOS COSILIN”.

E o monstro ficava então apavorado. Sua presença era como a de um gigantesco e cabeludo gorila. Com sua longa cauda envolvia seus discípulos e amigos enquanto falava com eles.
Seus olhos eram iguais aos de um touro, seu nariz igual ao de um cavalo, boca como de mula, seus pés e mãos enormes e horríveis; seu corpo, peludo como o de um gorila. Na cabeça trazia um barrete, em seus ombros uma capa negra de príncipe dos demônios e em sua cintura um cordão com sete nós. Todas estas prendas denotavam que era um príncipe dos demônios, um mago negro de 13a. iniciação negra. Quando firmava um pacto com os magos negros, escrevia num documento..."

"Belzebu sabia abandonar o plano astral momentaneamente para entrar no plano físico e assim fazia−se visível e tangível para seus atrevidos invocadores do plano físico. Enriquecia àqueles com quem firmava pacto e a alma do pactuário ficava escrava de Belzebu. Ele lhes dava dinheiro, porém o invocador tinha que resolver segui−lo em determinado momento, dia, hora e minuto determinados. O próprio Belzebu desencarnava o pactuário e o levava para pô−lo a seu serviço, pois exigia a vida e a alma de seu filho mais querido.

Sei de um rico fazendeiro que tem um pacto firmado com outro demônio, que não é Belzebu, e a cada ano um obreiro de sua fazenda desaparece misteriosamente. Uma menina contemplou sua mãe no exato momento em que por mão misteriosa desaparecia, arrancada por alguém que não pôde ser visto, ficando a menina órfã".

"Conheço o caso de um evocador que chamou Belzebu..." "... Quando o evocador viu Belzebu na metade da peça, encheu−se de infinito terror, e não se atreveu a fazer com ele pacto algum porque se lhe travou a língua".

"Belzebu tinha sempre sua caverna cheia de armas e de selos para marcar os corpos astrais de seus discípulos. Eu, Samael Aun Weor, observava Belzebu no astral, e procurei ganhar sua amizade porque chamava−me sobremaneira à atenção o fato de que irradiava amor a seus amigos. Era um caso raríssimo e único em seu gênero, pois jamais tinha ouvido falar que um demônio irradiasse luz azul, que é a do amor.

É certo que me fazia terríveis ameaças, porém eu o vencia com meus mantras. Acompanhava−o às suas cavernas no astral e cheguei até a tomar parte de seus festins, fingindo−me de mago negro e até seu colega, para assim estudar mais acerca daquele personagem. Minha intenção em longo prazo era realizar a maior façanha do Cosmo: tirar Belzebu da Loja Negra e convertê−lo em discípulo da Loja Branca. Meus discípulos consideravam tudo aquilo como algo verdadeiramente impossível e Belzebu não deixava de ameaçar−me. Porém, apesar de tudo, eu não desanimava.

Houve um curioso sucesso que veio dar−me ânimo em meu intento. Uma noite, junto com um chela, invocamos Belzebu em astral e tendo ele concorrido ao nosso chamado, convidamo−lo para jantar. Ele aceitou o convite e concorremos a um restaurante do plano astral ( Como já temos explicado, o corpo astral também come elementos afins ao seu organismo. O mundo astral é quase igual ao nosso ).  Assim, pedi para Belzebu um alimento enquanto me contentei em beber um copo de água. Belzebu sentou−se à mesa, tirou seu barrete da cabeça e cavalheirescamente começou a comer. Era curioso ver aquela espécie de gorila sentado à mesa e servindo−se como um senhor. Alguns chelas que se achavam naquele recinto dirigiram−se a mim dizendo que aquilo era um desrespeito de minha parte, levando um demônio àquele recinto. E, como era de esperar, miraram−no com asco e deram−lhe desprezo. Eu contestei: Este também é um homem e merece que seja respeitado. Belzebu tomou a palavra e em tom de profunda tristeza disse: “Todos me desprezam. O único que não me despreza é meu amigo Samael Aun Weor”.
Essa experiência astral me deu ânimo para continuar com meu ansiado propósito de tirar Belzebu da loja negra e fazê−lo discípulo da Fraternidade Branca.

"Várias vezes havia chamado à atenção ao ÍNTIMO de Belzebu para que fizesse algo por sua alma, porém a resposta de seu Íntimo era: “Não posso, não me obedece, muito tenho lutado, porém é impossível”.

É que Belzebu, como os magos negros da Escola de Sodoma, considerava que o Espírito é inferior e que a alma é superior, dizem que por ser mais psíquica. Belzebu, igualmente aos discípulos da Escola de Sodoma, estava convencido de que o Guardião do Umbral era seu Real Ser. Precisamente por isso é que Belzebu não escutava seu Íntimo. Ele ignorava que estava no mal e atacava furioso os magos brancos, crendo−os perversos. Ele se achava santo e bom, e aos magos brancos, considerava−os demônios. Ele ignorava nosso princípio gnóstico que diz: 
“Uma Alma se tem e um Espírito se é”.

“Antes da falsa aurora aparecer sobre a terra, aqueles que sobreviveram ao furacão e à tormenta, louvarão o Íntimo e a eles se lhes aparecerão os Arautos da Aurora” ( do Testamento da Sabedoria ).

O ÍNTIMO é nosso Mestre Interno e a alma que se afasta do Íntimo vai ao Abismo. O Espírito é nosso Real Ser e a alma que se afasta de seu ESPÍRITO desintegra−se: essa é a Segunda Morte.

Cheio de ânimo por aquelas palavras que Belzebu manifestou durante a ceia, fiz um novo experimento: invoquei−o novamente no astral e uma vez mais concorreu ao meu chamado. Diplomaticamente convidei−o para beber algumas taças comigo. Alegre e feliz, Belzebu aceitou meu convite, e conforme caminhávamos pelo plano astral ele ia trocando a vibração até que finalmente tirei−o do plano astral e o conduzi ao plano de consciência mais divina do cosmo.
Este plano é chamado pela Mestra Blavatsky ( em seu 1º Tomo da Doutrina Secreta ) de O ANEL NÃO SE PASSA. Consideremos o cosmo como uma grande árvore com suas raízes no Absoluto. Essas raízes vêm a ser “O Anel Não se Passa”...

"Belzebu ficou realmente deslumbrado ante a terrível luminosidade dessa inefável região, indescritível por sua beleza e felicidade. Porém, sentiu terror.

Há aproximadamente quatro eternidades que Belzebu vivia entre as trevas das cavernas tenebrosas e agora, ao ver a luz, sentia medo... e com voz rouca exclamou: “Isto é sempre terrífico”. Mais terrificante são as trevas em que tu vives, respondi−lhe, e caminhando por esse plano passamos em frente a uma casa. Pode−se entrar?”, perguntou−me. Respondi−lhe afirmativamente.

De imediato entramos e estivemos nela por curto espaço de tempo. Para Belzebu tudo aquilo era realmente novo e ele sentia−se mal. Ele estava acostumado a viver entre os profetas velados e portanto a luminosidade terrível desse plano o fustigava consideravelmente. Depois de um momento de luz, conduzi−o ao outro extremo, às terríveis trevas do Avitchi de nossa Terra, onde não se vem senão pedaços de almas em estado de desintegração, almas de prostitutas que por força de tanto coabitar separaram−se totalmente do Íntimo, as quais acostadas em seus imundos leitos vão−se desintegrando como velas que se derretem com o fogo da paixão.
Havia ali almas de demônios que só pareciam pedaços. “Aqui sinto−me um pouco melhor”, disse−me Belzebu, e eu contestei: Terás que te acostumar à luz. “Isso dá trabalho porque faz muito tempo que vivo nas trevas”, respondeu−me. E eu mostrando−lhe os pedaços de almas, adverti−lhe: Aqui virás se seguires com tuas maldades. Conduzi−o novamente ao seu plano astral ( Inferior ).
Apesar de que para mim não foi de todo satisfatória aquela prova, não desanimei. Compreendi que ele tinha o Guardião do Umbral dentro de seus corpos internos e como é lógico, esse Guardião tão respeitado pelos magos negros o escravizava totalmente, apesar das esperanças prometedoras que eu observava em Belzebu.

Não se havia enfurecido contra a luz, unicamente o tinha fatigado. No astral sofria muito, todos os espiritualistas tinham−lhe asco, e ele estava desiludido de sua gente.

Sempre o mesmo déspota que de trás do altar dirigia seu templo, sempre os mesmos vícios e esses vícios já o tinham transformado num gorila, numa besta imunda. Tudo isso eu, Samael Aun Weor, compreendia, e por essa razão não esmorecia, principalmente quando ele já tratava de sentir afeto por mim, e considerava−me seu melhor amigo.

Realizei um terceiro experimento, o qual foi realmente decisivo: Levei Belzebu pela segunda vez ao “Anel Não se Passa”. Invoquei ali seus melhores e antiquíssimos amigos da Época de Saturno. Esses amigos eram agora luminosos Senhores da Mente, Senhores da Luz, e, cheios de dor abraçaram Belzebu, e um deles lhe disse: “Jamais acreditei chegar a ver−te neste estado”. Belzebu respondeu: “Veja até onde cheguei”.

Naquele plano, Belzebu parecia algo assim como um gorila da selva africana dentro de um elegante salão de Paris. Porém, Belzebu ao reconhecer seus amigos mais queridos, consternou−se no fundo de sua alma e compreendeu totalmente seu extravio. Esse era Belzebu, o simpático e disputado galã da Arcádia! Se não houvesse seguido pelas tabernas, não haveria conhecido o horrível mago negro que o extraviou... Pedi permissão aos mestres daquele luminoso plano para deixarem Belzebu por um tempo nessa luminosa região e os mestres cederam de bom grado à minha petição, sob a condição de visita−lo constantemente.

Então formamos uma Cadeia de Amor ao redor de Belzebu e o inundamos com nossos melhores átomos e o saturamos de luz e esplendor. Eu visitava constantemente Belzebu. Ele permanecia triste, era o único gorila daquele plano de Deuses... Todos os seres daquela região miravam−no com curiosidade e os antigos amigos do Período de Saturno aconselhavam−no e o ajudavam.
Belzebu ia−se acostumando pouco a pouco à luz e no fundo de sua alma sentia remorsos pelo tempo perdido, vergonha ante seus melhores amigos e  ânsias de melhora. 

Em Belzebu produzia−se uma grande revolução interna. Uma noite, a mais calma, a mais silenciosa, fiz uns experimentos que foram realmente decisivos. Projetei para Belzebu, sobre o cenário cósmico, algumas cenas dos Arquivos Akáshicos. Ali apareciam aquelas primitivas épocas do Período de Saturno, quando Belzebu ainda era um homem bom e simples, quando ainda não havia colhido vícios, quando ainda não era amigo de lupanares nem de tabernas. Todas aquelas cenas deslizavam−se em sucessiva ordem e Belzebu, silencioso, as contemplava. Logo apareceram as tabernas, as festas, as noites de vigília, e vieram os lupanares e a orgia. Belzebu, cheio de terrível emoção interna, contemplava aquelas antiquíssimas cenas e recordava seus erros. Estava na presença das primitivas causas que o haviam conduzido ao seu estado atual. Uma verdadeira Revolução de Belzebu estava em atividade.
.
Belzebu revoltava−se contra o ódio, contra o egoísmo, contra os vícios, contra a fornicação, contra a ira, contra o crime etc. De repente, surge dentro da cena algo tétrico e horrível. Era um horrível demônio, vestido com túnica negra e tendo aros em suas orelhas. Os olhos de semelhante demônio projetavam−se para fora e uma atmosfera de profundas trevas o envolvia. Belzebu ficou contemplando−o atônito, era seu antiquíssimo mestre, o horrível mago negro que com suas chaves maravilhosas o ajudava sempre a triunfar no vício do jogo. Era o horrível demônio que o conduzira à Primeira Iniciação Negra. Foi quem o escravizou ao Guardião do Umbral naquele antiquíssimo templo tenebroso, onde passou o Primeiro Ritual pelo qual os magos negros passam hoje em dia.

Sorridente, aproximou−se de Belzebu o sinistro personagem para saudá−lo. Belzebu, como que atraído por um feitiço hipnótico, quis aproximar−se para corresponder à saudação, porém deteve−se. Um gesto de rebeldia surgiu das profundezas de sua alma, e heroicamente exclamou: “Não, não te saúdo, nada quero contigo, tu és o culpado de que eu esteja neste estado!”
Então, o sinistro personagem respondeu com voz muito brava, que parecia emanar do fundo dos séculos e da profundidade das cavernas tenebrosas: Esta é a paga que dás aos meus serviços? Já não te recordas dos meus sacrifícios? Já não te lembras dos ensinamentos que eu te dei? Estás deixando−te levar pelo mau caminho”.
Belzebu porém respondeu cheio de energia: “Não quero te escutar, tu és o culpado de que eu esteja neste estado. Os favores recebidos, creio havê−los pago”.

Então eu conjurei o sinistro personagem para que se retirasse e o mago negro retirou−se com suas profundas trevas. Pareceu fundir−se no Abismo. Esta foi uma prova para Belzebu e ele saiu−se bem da prova. Belzebu revoltou−se contra a magia negra. Um gesto de rebeldia estalava no fundo de sua alma.
E depois que tinha projetado esses Arquivos Akáshicos na atmosfera, para que Belzebu os contemplasse, os Mestres e meus discípulos fizemos Cadeias de Amor para irradiar luz a Belzebu.
Logo projetei para Belzebu, e em forma de quadros, o porvir que o aguardava se seguisse o caminho negro. Apareciam quadros onde se via Belzebu feliz nas tabernas, entregue a todos os vícios da terra.
Por último, aparecia o crepúsculo da Noite Cósmica, os mares transbordados sobre a terra, tudo ruínas e gelo, e, adiante, numa praia, jogado, um pedaço de cabeça com seu peito e braços do que antes havia sido Belzebu.

Uma vez terminado este quadro, eu lhe disse: Eis aqui o porvir que te aguarda se seguires o caminho negro. Logo, projetei o porvir que o aguardava se seguisse o caminho da magia branca. Nesses quadros via−se Belzebu já unido com seu Íntimo, vestido com a túnica do Mestre, com sua longa capa de Hierofante e seu cetro de poder.
Aparecia um luminoso jardim e Belzebu passeava nele como um Deus onipotente e celestial.
Este é o porvir que te aguarda se seguires o caminho da magia branca.” “Resolve−te agora mesmo. Segues com a magia branca ou continuas pelo caminho negro?” Belzebu contestou: “Sigo com a magia branca”.  Sua contestação foi firme e Belzebu caiu de joelhos chorando como uma criança. Levantou os olhos ao céu, juntou suas mãos sobre o peito e entre lágrimas e soluços orou ao céu...

Um demônio arrependido!... 

Brilhavam os chifres de sua fronte, como se já quisessem desvanecer−se com a luz. Os Irmãos Maiores o abraçaram com lágrimas nos olhos. Todos regozijavam−se entre si e ouviu−se uma marcha triunfal e deliciosa, com suas inefáveis melodias nos céus estrelados de Urânia. “É que há mais alegria no céu por um pecador que se arrepende que por mil justos que não necessitam de arrependimento.” 

"Mais tarde fiz Belzebu reviver toda a sua vida, através dos quatro grandes Períodos Cósmicos, e mostrei−lhe o belo porvir que lhe aguardava se seguisse pelo luminoso sendeiro, e Belzebu, ao se ver já feito hierarca do futuro, perguntou−me: “Isto será rápido?” Respondi−lhe afirmativamente".


"Esse monstro interno havia−se assenhorado de sua vontade, de seu pensamento, de sua consciência e de tudo. Era necessário expulsá−lo de seu ser para realizar um rápido progresso interno. Foi então quando o levei ao astral para sujeitá−lo na Primeira Prova Iniciática, pela qual todo aquele que quiser chegar à Iniciação tem que passar irremediavelmente. Esta é a Prova do Guardião do Umbral. Ao se invocar o monstro, este sai e lança−se ameaçadoramente sobre nós.

Belzebu chamou−o várias vezes. Uma brisa horrível soprava por todas as partes. Então, apareceu o Espectro do Umbral em forma terrível e ameaçadora. Aquele ser era um gigante de três metros de estatura e dois de espessura. Tinha a aparência de um gorila monstruoso, de rosto chato e redondo, com chifres e olhos saltados. Belzebu o havia fortificado através dos tempos e agora não lhe restava outro remédio senão combatê−lo; assim, pois, Belzebu lançou−se valorosamente sobre o monstro e o pôs em derrota. Esse era o monstro que dava a Belzebu essa horrível aparência de gorila, essa era a Besta do Umbral. Um ruído “seco” ressoou no espaço. Este som é distinto do som metálico que se produz em casos similares com nossos discípulos atuais. É que Belzebu é de outro período mundial. Foi recebido no Salão dos Meninos com grande festa e música deliciosa, e ficou convertido em discípulo dos Irmãos Maiores.
Os Mestres presentearam−lhe com uma simbólica taça de prata... Os chifres desapareceram de sua fronte porque esses chifres eram de sua besta interna, o Guardião do Umbral, chamado pelos rosacruzes da Escola de Sodoma: “O Guardião de sua Câmara, o Guardião de seu Sanctum”.

"A monstruosa figura de gorila também desapareceu porque essa não era sua, era do Guardião do Umbral, chamado, pelos rosacruzes da Amorc, de Guardião de sua Consciência. Belzebu embelezou−se, porém agora devia cumprir com o que o Mestre disse: “A césar o que é de césar”. Ele tinha de devolver aos magos negros as prendas que deles havia recebido: o barrete, o cordão de sete nós e a capa de príncipe dos demônios. Também tinha que apagar seu nome do livro onde estava inscrito".

"Quando afirmamos que Belzebu deveria apagar seu nome do livro de um templo, falamos com tanta segurança como quando dizemos que devemos apagar um nome de um livro físico−material. É que se no plano físico existem objetos materiais, na região astral também existem objetos sólidos materiais, porque dito plano é tão material como o físico, e ainda podemos visitá−lo cada vez que queremos, penetrando dentro dele, com corpo de carne e osso, vestidos e preparados como se saíssemos à rua para passear. Em todo templo de magia negra existem livros de matéria astral nos quais estão anotados os nomes de seus afiliados, e todo mago negro, ao retirar−se de um templo de magia negra deve sempre apagar seu nome do livro onde está anotado. Também deverá devolver todas as prendas a seus donos: “Daí a Deus o que é de Deus e a césar o que é de césar”.

"Em seguida, tirou o barrete da cabeça e o cordão da cintura e os arrojou sobre o altar dizendo “Agora sou da Loja Branca”, e acrescentou: “Dê−me o Livro, quero apagar meu nome”.
Então, o tenebroso sacerdote contestou, como um déspota: “Busque−o você. Eu não me ponho a este trabalho”. E Belzebu pegou o livro, apagou seu nome e saiu do templo com passo firme e triunfal.

Em seguida, dirigimo−nos a certa caverna tenebrosa, onde deveria entregar a capa de príncipe dos demônios. Ao entrar na negra caverna, Belzebu falou: “Venho entregar esta capa que já não me pertence porque agora sou discípulo da Loja Branca”. E atirou−lhes a capa, enquanto aqueles magos negros da caverna o insultavam para que Belzebu saísse da caverna. Uma vez fora, dirigimo−nos à própria caverna de Belzebu. Viam−se ali inumeráveis armas e selos de magia negra. Belzebu queimou tudo aquilo com as salamandras do fogo.

E assim, querido leitor, foi como Belzebu, o antigo príncipe dos demônios, liberou−se da magia negra". 

"Dias depois, apresentou−se a Prova do Grande Guardião do Umbral Mundial. Esta é a segunda prova que todo discípulo deve passar e Belzebu enfrentou o segundo Guardião valorosamente e se lhe celebrou uma festa em outro templo, e entregou−se−lhe outra simbólica taça de prata.

Passada a segunda Prova, vem outra, para queimar com fogo as escórias que tenham ficado no discípulo. Belzebu entrou no Salão de Fogo e se sustentou nas chamas valorosamente. Esta é a terceira Prova e Belzebu a passou bem. O fogo queimou todas as larvas de seu corpo astral e assim ficou limpo.

Mais tarde passou pelas Quatro Provas e demonstrou nelas que estava disposto até a beijar o látego do verdugo.
Estas Quatro Provas são: da Terra, do Fogo, da Água e do Ar. Belzebu passou essas Quatro Provas valorosamente e então recebeu a capa de chela da Loja Branca e vestiu−se com túnica roxa. Belzebu fez−se discípulo da Loja Branca e santificou−se totalmente.

Os Irmãos Maiores celebraram com alegria uma grande festa cósmica e o divino Rabi da Galiléia recebeu−o em seus braços, e a mim, Samael Aun Weor, felicitou−me pelo triunfo. O acontecimento ficou escrito no Livro dos 24 Anciães, e todo o Cosmo estremeceu. Este é o maior acontecimento da evolução cósmica. Eu tinha ouvido falar de anjos caídos, porém jamais de um demônio arrependido.

Belzebu entregou−se a curar enfermos e a levá−los pela noite em corpo astral ao Templo de Alden para curá−los. Entregou−se ao bem, à bondade e à justiça. Trocou seus costumes demoníacos por costumes de santo e tornou−se santo. Perdido o elo principal, que era Belzebu, o pânico estendeu−se na Loja Negra. Os magos negros desenrolaram velhos pergaminhos e assombraram−se ao ler os inumeráveis graus que Belzebu tinha, e como os havia traído. Alguns comentavam, dizendo: “Agora não nos resta senão o Chefe Javé, o Patrão... Se ele nos abandona, estaremos perdidos”.

Depois que Belzebu passou as Quatro Provas da Terra, do Fogo, da Água e do Ar, ele visitou Javé, seu antigo chefe, e lhe disse: “Venho despedir−me. Agora já não dependo mais de teu governo, porque agora sou discípulo da Loja Branca”.
Furioso, Javé respondeu−lhe: “Traidor! Miserável! Canalha! Deixaste convencer por Samael Aun Weor, porém ele não tem teus graus nem os meus. Observa que vais pelo caminho do mal”.
Belzebu respondeu−lhe energicamente: “Quem vai pelo caminho do mal és tu, eu sigo com Samael Aun Weor. Eu não havia visto a luz, porém agora que ele a mostrou para mim, não tornarei a sair dela, e sigo a Samael Aun Weor como o seguem todos os seus discípulos”.
Então, Javé lhe disse: “Maldito, maldito, maldito! Minha maldição te perseguirá eternamente”. Porém Belzebu, sorrindo, respondeu: “Tua maldição não me afeta porque estou protegido pela Loja Branca”.
Depois que tinha falado com Belzebu, Javé voltou−se contra mim dizendo: É a ti que devo atacar porque tu és o responsável por tudo isso”. Ato contínuo, atacou−me com todo seu sinistro poder oculto, porém esconjurei−o facilmente e o derrotei.

"Belzebu seguiu curando enfermos e chegou o instante em que se fez necessário pedir corpo físico para escalar o Sendeiro da Iniciação. E Belzebu pediu o corpo e foi aceita sua petição, e no Escritório Kármico inscreveu o número 9 e ingressou em nossa evolução humana".

"os irmãos maiores tinham previsto tudo muito bem e o chela Belzebu encarnou−se em corpo feminino na França. Agora é uma bela jovem da França, que assombrará o mundo por sua santidade, poder e sabedoria. Seus pais formam um jovem e belo matrimônio, onde só reina o amor e a compreensão, pois ambos são Iniciados, são obreiros, porém gozam de uma vida simples e formosa.

Belzebu nasceu com corpo de menina porque o corpo feminino é indispensável para ele desenvolver o sentimento, a ternura e o amor. Agora, já com corpo físico, poderá ir passando rapidamente as Nove Iniciações de Mistérios Menores, e ao fim unir−se−á com o Íntimo e converter−se−á num Mestre de Mistérios Maiores da Fraternidade Branca".
( Resumo do livro A Revolução de Belzebu do V.M. Samael Aun Weor )

COMENTÁRIO FINAL:

Do exposto no livro A REVOLUÇÃO DE BELZEBU do Grande Mestre Samael Aun Weor, Avatar da Era de Aquário, vimos claramente que até um mago negro pode se arrepender, embora seja raro,  e, arrependido, pode ainda se converter em um poderoso mago branco. A reversibilidade existe, o perdão existe e, como vimos, a ajuda dos DEUSES é implacável à todo aquele que verdadeiramente se arrepende de seus erros e enganos. Pode ter pêlos, cornos e rabo compridíssimo, mas quando se arrepende, de fato, o ÍNTIMO e demais MESTRES DA LOJA BRANCA concorre para ajudar a retornar ao ponto de partida e voltar a se preencher de beleza, genialidade e vida.

Belzebu, o príncipe dos demônios, compreendeu que foi enganado pelos magos negros e se arrependeu de suas maldades. Rebelde como era desde os tempos da Arcádia, empunhou a espada da revolução interior e rompeu com abismo para nascer nos mundos superiores como homem verdadeiro. NADA ESTÁ PERDIDO PARA QUEM QUER SAIR DO ERRO E DO ENGANO.

Como disse o Mestre Samael:
“Mais vale um pecador que se arrepende, do que mil justos que não necessitam de arrependimento”

O que faz alguém se arrepender é a chispa de consciência. Belzebu ainda possuía uma chispa de amor ( caso raro ) por isso que teve todo uma ajuda de Samael e das Hierarquias Divinas para poder alterar sua vibração interna e fazer com que esta chispa lhe tocasse seu coração ( falemos assim ).  A consciência, ainda que em pequena porcentagem, é o que temos de mais precioso e é o que faz revolucionar e modificar radicalmente uma vida sempre recorrente.

Em termos de salvação o que pode salvar alguém é a CONSCIÊNCIA que vai aumentando com a eliminação de nossos defeitos psicológicos. É claro que nem todas as almas querem chegar a maestria mas pode se libertar do ego e do karma para chegar a verdadeira felicidade. Dizia o Mestre Samael:

"Nem todas as criaturas ditosas que vivem em todos os mundos do espaço infinito alcançaram a maestria. No entanto, encontram-se em consonância com a ordem cósmica, porque não tem ego. Quando vivemos de acordo com o reto pensar, o reto sentir e o reto obrar, as consequências costumam ser ditosas".
( Samael Aun Weor )

Tenho que repetir reiteradas vezes: Graças a Deus encontrei o V.M. Samael Aun Weor na minha vida, pois foi através de seus maravilhosos ensinamentos que saí das teorias dos inconscientes e das garras dos enganadores que, dirigidos pela mente BESTIAL LUCIFERIANA, lutam incessantemente por desviar as almas da senda da auto-realização íntima do SER.

DEFININDO POSIÇÕES

Depois desta interessante narração descrita pelo Grande Mestre Gnóstico não é em nada casual que exista uma campanha ferrenha e intensa contra o Mestre Samael e sua Divina Gnosis, pois o combate entre loja branca e loja negra se dá em todos os lugares e agora é momento de posicionar-se DEFINIDAMENTE sobre que lado estamos, pois a passividade e a indiferença ante tudo o que vem acontecendo é prenúncio certo e inequívoco, que estará favorecendo inevitavelmente em harmonizar NEGRO com o BRANCO.

Não esqueçamos o que dissera o Cristo Salvador:
Sê-des frios ou quentes, porque os MORNOS eu vomitarei de minha boca.

Infelizmente, nesta defícil era de ferro, poucos são os que se posicionam a favor do Cristo, ou seja, a favor da Loja Branca,  por estarmos vivendo a era final de Kali Yuga, onde muitas criaturas dos mundos inferiores tomam corpo físico para terem uma nova chance no palco tridimensional da vida.

Não é incomum também às pessoas, contaminadas pelos santarrões, se assustarem com as palavras claras, objetivas e firmes de um MESTRE DA FORÇA tal como Samael Aun Weor em relação a outros autores, mas o leitor deve saber e se atentar que entre as cadências das orações se esconde o delito e é nos templos tenebrosos onde assassinam as almas.

Isto nos faz lembrar uma frase do Mestre Samael em que diz:

"O delito, às vezes, torna-se tão refinado que se confunde com a santidade; e tão cruel que chega a parecer-se á doçura. O delito veste-se com a toga do juiz, com a túnica do mestre, com a roupagem do mendigo, com traje do senhor e até com a túnica do Cristo".
( V.M. Samael Aun Weor ).
.
Concluímos este tópico com a seguinte pergunta que fizeram ao Mestre Samael:

Pergunta:
"Mestre, a muitos chamou a atenção o fato de que em livros como "A Revolução de Bel" e outros havia muitas críticas severas, frases e afirmações violentas contra certos autores. Não faltam aqueles que vêem nisso uma contradição entre sua antiga atitude e a doutrina do coração, da qual você fala em numerosas obras. A que foi devido esses ataques e por que já não o faz mais?".

Resposta - V.M. Samael:
"O agricultor que vai semear tem de primeiro queimar as folhas, os galhos, os espinhos e tudo o que não sirva. Depois, pode dar-se ao luxo de plantar o grão de onde irá sair a vida. Os operários que vão levantar uma casa primeiro têm de romper o solo, cavar a dura terra a fim de estabelecer bases firmes para a construção. Também a mim, que me coube entregar a mensagem para a nova Era de Aquário, tocou a dura tarefa de qualquer agricultor ou operário. Tocou-me assinalar, indicar o obstáculo, mostrar o perigo, o erro, antes de lançar o grão cultural da Nova Era que nestes momentos se inicia por entre o augusto troar do pensamento".

Creio que depois destas explicações, fica também muito claro o porquê da postura firme e incisiva do V.M. Samael Aun Weor em relação a outros autores.

Permanecer no estado de inocência não é despertar a consciência. Existe um grande perigo nisso, daí a necessidade do Mestre Samael Aun Weor separar muito bem magia negra de magia branca, que são antagônicas, opostas e antitéticas entre si. 

Em se tratando de ocultismo é dever de todo Mestre Avatar diferenciar claramente magia branca de magia negra. Os tenebrosos lutam por misturar e confundir, os avatares seguem separando o negro do branco, continuamente,  para o ódio mortal daqueles que lutam por querer deixar "sagrado" o que é inferior, anti-natural e abominável.

É preciso ficar alerta como sentinela em época de guerra, dizia-nos o V.M. Samael.

FIQUEMOS ALERTA!


------------------------------------------------------------------


"A Rosacruz é um dos sete santuários iniciáticos que estão no astral, mas todas as escolas rosacruzes conhecidas no mundo físico atualmente são falsas. Elas caíram em mãos de Javé"
( V.M. Samael Aun Weor ) 


-----------------------------------------------


IMPORTANTE SABER

O livro "A Revolução de Belzebú" é um livro odiado pela loja negra e que certamente trataram de acrescentar coisas que o Mestre Samael nunca escreveu e livros que Samael nunca citou. É o caso por exemplo do livro Os Deuses Atômicos de um tal mestre "M". Livro esse traduzido por um  espírita thelemita de nome Patyanara. 

Só para se ter uma ideia, no referido livro vamos ver coisas escritas assim:  
"Incidentalmente, acreditamos que será do interesse dos estudantes conhecer algo acerca do lugar e da situação que o médium deveria ocupar. Num passado remoto, essas pessoas eram tratadas com todo o cuidado e com a maior reverência, porque algumas vezes os deuses elementais falavam por intermédio delas, daí serem consideradas semidivinas. No futuro, também cuidaremos de nossos sensitivos( médiuns ) com toda a reverência e respeito e nos preocuparemos grandemente com sua moral e bem-estar, oferecendo-lhes todas as condições necessárias para que desenvolvam seus mais elevados poderes, sem colocar em perigo seus dons na luta pela vida" 

O sensitivo para o autor desconhecido de nome "M" é o médium, prova muito clara e cristalina de que o V.M. Samael JAMAIS citaria o livro Os Deuses Atômicos em suas obras, assim como nunca citou a medium canalizadora Alice Bailey e seu guia Djwhal Khul. O livro é confuso e ambíguo e já alertamos que médium superior e inferior é tudo uma mesma coisa: MEDIUNISMO.


Eles estão trabalhando intensamente por introduzir o mediunismo na Gnose de Samael, por isso que inventaram esse livro e introduziram o nome do mesmo na obra esotérica "A Revolução de Belzebu",  como se o Mestre Samael tivesse citando e indicando, sem ainda dizer o nome do autor, o tal  mestre "M".

O tradutor em menção ( Patyanara ) dispõe também, em seu blog, não somente o livro Os DEUSES ATÔMICOS para o download, COM SUAS NOTAS DE TRADUTOR ESPÍRITA, mas também alguns outros livros e, entre estes, o tenebroso Livro da Lei da Besta 666 Aleister Crowley sob o título "O Livro da Lei ( Liber Legis ) para o Povo Suplicante" sob a interpretação de Patyanara. Parece que a tentativa é o de dar "cristanidade" ao cavernoso e anticristão Livro da Lei de Aleister Crowley, cuja figura se dizia ser a própria Besta 666 do apocalipse ( o anticristo ), para também associá-lo aos sete raios da doutrina Nova Era deles, uma vez que considera os três capítulos do livro uma espécie de "Bíblia Mágica da Era de Aquário" dizendo ainda ser preponderada pelas energias do sétimo raio. MEU DEUS!... O MUNDO ESTÁ PERDIDO MESMO!!!

Não podemos esquecer que o Liber Al vel Legis ( Livro da Lei ) foi ditado mediunicamente pela satânica entidade Aiwass, através da médium Rose Kelly ( esposa de Aleister Crowley ). De forma que , o leitor desavisado, ao chegar ao livro OS DEUSES ATÔMICOS, chega-se ao seu tradutor Patyanara que, com suas NOTAS DE TRADUTOR, indica as publicações da Federação Espírita Brasileira, no mesmo livro, onde tipos disfarçados de gnósticos tais como Ali Onaissi do grupos disfarçado de gnóstico GNOSISONLINE e Giordano Cimadon da SGI ( Sociedade Gnostico ) fizeram conhecer.


Se os leitores encontrarem o nome deste livro OS DEUSES ATÔMICOS, como sendo citado pelo V.M. Samael em mais algum outro livro do Mestre Samael, saiba que não foi o Mestre Avatar que o citou, pois já não é novidade para ninguém que acrescentaram textos e nomes nas obras esotéricas gnósticas, e que o Mestre Samael nunca escreveu. É o caso, por exemplo, de um tal de Djwhal Khul canalizado pela médium Alice Bailey, etc., e também daquela estorinha engraçada onde falam que JESUS RESSURRETO teria sido Apolonio de Thyana e que depois foi preso até morrer encerrado numa prisão. É bem cômica a patifaria inventada pelos INVERTIDOS e completamente fora de realidade esotérica, pois os gnósticos ( os verdadeiros ) sabem que o Venerável Mestre Jesus tem seu corpo físico ressurreto imortalizado, não precisando mais reencarnar e  muito menos morrer em prisão alguma. Eles editam os livros do Mestre Samael para isso: para os leitores desavisados lerem o que estrategicamente acrescentaram e que o Mestre Samael nunca escreveu. Eles querem passar aquela ideia de que Samael "plagiou" ou que os tais falsos mestres acencionados canalizados tal como
Saint Germain, Djwhal Khul etc. são maiores que Samael, Jesus Cristo etc.

A luta e a dedicação em misturar literatura mediúnica aos ensinamentos crísticos gnósticos é realmente intensa , haja visto que o tenebroso livro Liber Al vel Legis foi ditado mediunicamente, porém todo gnóstico ( o verdadeiro ) sabe que mediunismo ( ou canalização que é a mesma coisa )  é o PSIQUISMO INVERSO ao do verdadeiro desenvolvimento psíquico gnóstico. Eles querem misturar o óleo à água para enganosamente convencer os leitores de que é "UMA SÓ SUBSTÂNCIA", e quem não veja desta maneira ( sempre enganosa ) é porque é "fanático", "dogmático", "preconceituoso", "julgador", etc. e etc.
 

Argumentos intelectualóides é que não faltam e não faltarão para HIPNOTIZAR a solitária alma, fazendo-a crer, cegamente, que CINZA e NEGRO é igual a BRANCO.

De maneira que não aconselhamos ninguém a ler o livro "A Revolução de Belzebu" de nenhuma editora dita "gnóstica", e muito menos os livros daquele site de nome gnosis 2002, pois é a pior biblioteca gnóstica que existe, entre outras.

Isto tudo nos faz lembrar de uma pergunta que fizeram ao V.M. Rabolú que foi a seguinte: 

Pergunta: "Que nos diz dos grupos que estão editando os livros do Mestre Samael?

V.M. Rabolú: Aquí na Colombia, “Iris Impresores”, que é a gráfica que tem editado os livros do Mestre Samael, tem uma adulteração tão terrível nos livros, que já não se pode contar com isso. 'O Tratado de Medicina Oculta e Magia Prática', vem com práticas de magia negra, tirada de livros de magia negra, estão no livro de Medicina, diz que “aumentado pelo Mestre Samael”. ISSO SÃO MENTIRAS! Estas práticas são de pura magia negra. De modo que nós estamos lutando para editar os livros da Espanha ( através de Edições CARF ) e aqui por orientação minha, para evitar este problema dos livros porque de Iris Impresores não compro um livro".

Esse tópico é um resumo do livro "A Revolução de Belzebu" para poder-se entender a essência do mesmo. 

Vamos repetir: Não aconselhamos ninguém a ler o livro "A Revolução de Belzebu" de nenhuma editora dita "gnóstica", e muito menos os livros daquele site de nome gnosis 2002, pois é a pior biblioteca "gnóstica" que existe. 

Melhor do que ficar lendo livros das bibliotecas de extraviados e infiltrados, é ir à prática, que é onde ganha-se o conhecimento. O Mestre Samael entregou seu ensinamento daquilo que ele experimentou, porque é na prática onde se ganha o verdadeiro conhecimento. E todos nós podemos começar praticando gnose desde já.  Veja os tópicos, abaixo:


1 - Como eliminar seus defeitos psicológicos 
( em morte em marcha ):

2 - É Deus ( Deus-Mãe ) quem tem o poder de eliminar defeitos psicológicos, e que são muitos, para ir liberando a consciência engarrafada nos mesmos:

3 - Técnicas para o Desdobramento Astral 
As Técnicas Corretas:
- See more at: http://gnosesamaelgnosisgnosticos.blogspot.com.br/#sthash.18BUU5r0.dpuf
1 - Como eliminar seus defeitos psicológicos ( em morte em marcha ): 
.